Mortes associadas a Covid-19 em crianças são maiores no Brasil, diz médica da Pfizer




A diretora médica da Pfizer Brasil, Márjori Dulcine, afirmou nesta terça-feira (04), que a taxa de letalidade de mortalidade associadas a Covid-19 em crianças e adolescentes, menores de 19 anos, são muito maiores no Brasil que as registradas em países como Estados Unidos e Reino Unido.



Na audiência pública sobre a vacinação contra a Covid-19 de crianças de 5 a 11 anos que acontece nesta manhã, a médica defendeu a vacinação contra a Covid-19 desse público e disse que as crianças também podem sofrer sequelas pós Covid-19 ou evoluir para a síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica, uma das mais graves no Brasil.



Marjori ainda informou que até 13 de novembro de 2021 foram confirmados 1.377 casos de síndrome inflamatória sistêmica pediátrica associada a Covid-19 em crianças e adolescentes de 0 a 19 anos e que 27,4% desses casos aconteceram em crianças de 5 a 9 anos.



“É importante ressaltar que aproximadamente 2% dessas crianças hospitalizadas por síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica não tinham comorbidades, ou seja, a doença pode sim acontecer em crianças saudáveis”, afirmou a diretora.



Marjori aproveitou para ressaltar a aprovação da vacina infantil, fabricada pela farmacêutica Pfizer, feita pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em 16 de dezembro de 2021.
Pinterest

Sobre SITE TRIBUNA

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Site Tribuna. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Site Tribuna conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Site Tribuna um site de credibilidade!