Porto Seguro: Empresa de cosméticos interditada rebate denúncia de irregularidades




A fábrica de produtos cosméticos que foi interditada pela vigilância sanitária de Porto Seguro, na Costa do Descobrimento, (ver aqui) declarou que os produtos apreendidos “não necessitam de registro na Anvisa [Agência Nacional de Vigilância Sanitária]”.



Por meio de nota, a empresa Gahyia, que fica no distrito de Caraíva, todos os itens fabricados foram desenvolvidos por uma profissional de farmácia com graduação na Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) com “vasta experiência” e que as plantas usadas na preparação não são tóxicas, e sim “seguras e eficientes”.



A companhia também refutou que os artefatos não teriam informações nos rótulos, e declarou que a empresa tem como missão auxiliar na sustentabilidade do planeta, desde que foi criada em 2009.



“A Gahyia é uma empresa com missão voltada para a sustentabilidade do planeta. A empresa classifica seus cosméticos como naturais, utilizando ativos provenientes de plantas brasileiras como a resina de Almescar, árvore nativa da Amazônia e sul da Bahia. A empresa mantém plantio próprio das plantas utilizadas, fabricação artesanal, laboratório aberto para visitações, oferece cursos para a comunidade, gera empregos na cidade de Caraíva e ainda possui loja própria com um espaço de massagem e bem-estar”, diz a nota.
Pinterest

Sobre SITE TRIBUNA

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Site Tribuna. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Site Tribuna conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Site Tribuna um site de credibilidade!