AGU tem 72h para explicar verba para influenciadores propagarem 'tratamento precoce'




A Justiça Federal de São Paulo deu 72 horas para a Advocacia Geral da União (AGU) responder a uma Ação Civil Pública que pede a devolução dos recursos pagos em janeiro pela Secretaria de Comunicação do governo para que influenciadores divulgassem nas redes sociais o “atendimento precoce” nos casos de Covid-19. A AGU representa o governo federal na Justiça.



Segundo reportagem do UOL, O dinheiro saiu da campanha publicitária "Cuidados Precoces Covid-19", a qual teve verba de R$ 19,9 milhões, de acordo com a Agência Pública.



Desse montante, R$ 85,9 mil foram destinados ao cachê de 19 "famosos" contratados para divulgar a campanha em redes sociais, incluindo quatro influenciadores, que dividiram um total de R$ 23 mil para defender o "atendimento precoce”.



No roteiro de publicidade, o governo orientava a ex-BBB Flávia Viana (2,5 milhões de seguidores) e os influenciadores João Zoli (747 mil), Jéssika Taynara (309 mil) e Pam Puertas (151 mil) a publicarem seis stories no Instagram afirmando aos seguidores ser "importante que você procure imediatamente um médico e solicite um atendimento precoce" caso sentissem sintomas da covid-19.



Nem o briefing da ação, nem as postagens dos influenciadores contratados traziam menção ao "tratamento precoce" para covid-19 com uso de medicamentos como cloroquina e ivermectina, diz a Agência Pública. Mas na campanha oficial sobre "atendimento precoce" veiculada nos sites do governo, os termos "atendimento" e "tratamento" se confundem.



Na última segunda-feira, o Ministério Público de Contas, que atua perante o TCU (Tribunal de Contas da União), pediu ao governo federal que informe a fonte de recurso usada para pagar a campanha de publicidade.



Para o subprocurador-geral do MP de Contas, Lucas Furtado, a campanha é "vergonhosa e dissimulada”.
Compartilhe no Google Plus

Sobre SITE TRIBUNA

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Site Tribuna. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Tribuna de Ibicaraí conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Tribuna de Ibicaraí um site de credibilidade!