Demora na alta dos pacientes com Covid-19 emperra fila da regulação em Salvador




O secretário de saúde de Salvador, Leo Prates, afirmou, durante entrevista para TV Bahia, que Salvador está enfrentando o ‘novo’ problema na regulação, que é o número reduzido de altas hospitalares, motivada pela contaminação das novas cepas na segunda onda da pandemia do novo coronavírus. Salvador segue com 84% de taxa de ocupação dos leitos de UTI Covid-19.

“Houve uma queda expressiva da demanda, mas estamos conseguindo regular menos. Os pacientes da segunda onda são de mais longa permanência do que os da primeira. Vínhamos regulando cerca de 100 pessoas, ontem regulamos 74 e amanhecemos com 60 pessoas na fila. Estamos tendo uma queda no número de regulados por causa de uma queda no número de altas”, explicou Prates


O gestor da Saúde revelou que os pacientes renais crônicos devem ser incluídos no processo de vacinação a partir da próxima semana, e que há também uma expectativa da inclusão dos profissionais que atuam como farmacêuticos em farmácias de Salvador. Ele destacou que Salvador alcançou o 3º lugar, no Brasil, entre as cidades que mais vacinaram.

“Amanhã vamos vacinar os idosos com 68 anos ou mais e começar a vacinação quilombola, que iniciará na Ilha de Maré; são cerca de 2500 pessoas. Faremos um balanço das ações no final do dia com o prefeito Bruno Reis . Salvador já é a terceira capital que mais vacina no país, só perdemos para Manaus, que recebeu mais doses, e para Maceió, capital de Alagoas; mas acredito que até o final do dia iremos ultrapassar Maceio.

Prates disse que foi informado pela Secretaria Estadual de Saúde (Sesab) que a Bahia deverá receber novas doses entre quinta-feira e sexta-feira: “A Sesab deve receber até amanhã novas doses,mas por conta das notícias do ministério não realizadas, só acredito quando estiver no Graer para distribuição. Em breve teremos 10% população de Salvador vacinada, hoje 1 a cada 8,7 está vacinado”.

O secretário de Saúde destacou que Salvador conta com um estoque de rocurônio - medicamento do chamado Kit intubação e essencial para sedar os pacientes no momento da intubação -, que está em falta no mercado, e revela que o Ministério da Saúde realizou uma requisição administrativa, o que obriga os fornecedores a repassarem ao órgão federal os estoques do produto.

“Temos estoque. Esse remédio que é o mais utilizado, o rocurônio, não é um remédio específico rede municipal; porém, antecipamos a compra por determinação e temos esse remédio em estoque, mas esse estoque está se esvaindo. O governo federal requisitou administrativamente esse medicamento em vários laboratórios e fornecedores, o que dificulta a compra pelos municípios”, explicou Leo Prates.
Pinterest

Sobre SITE TRIBUNA

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Site Tribuna. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Site Tribuna conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Site Tribuna um site de credibilidade!