Gilmar concede prisão domiciliar a acusado de operar 'QG da propina' de Crivella




Apontado pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MP-RJ) como operador do “QG da propina” durante a gestão de Marcelo Crivella (Republicanos) na prefeitura do Rio, o empresário Rafael Alves teve sua prisão preventiva convertida em domiciliar pelo ministro Gilmar Mendes, nesta sexta-feira (26). Com a medida, ele agora será monitorado por tornozeleira eletrônica.



Segundo informações do Conjur, a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) se deu após o advogado do réu, João Francisco Neto, impetrar Habeas Corpus no STF. O magistrado entendeu que não ficou demonstrada a imprescindibilidade da prisão preventiva, já que com o fim do mandato de Crivella, o político e os demais investigados por corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa não têm mais influência na gestão municipal.



Rafael Alves foi preso no dia 22 de dezembro de 2020, após delação premiada do doleiro Sérgio Mizrahy, segundo o qual, o empresário era um dos homens de confiança de Crivella por ajudá-lo a angariar doações de recursos de empresas e pessoas físicas na campanha de 2016.



De acordo com o delator, empresas com interesse em firmar contratos com a prefeitura entregavam cheques a Rafael Alves, irmão de Marcelo Alves, então presidente da Riotur. Em contrapartida, ele intermediava acordos e pagamentos
Pinterest

Sobre SITE TRIBUNA

Informação: esse é o compromisso de todos os dias do Site Tribuna. Um site de credibilidade que tem o orgulho de proporcionar diariamente aos seus leitores informação com ética, qualidade e independência editorial. Atualmente, o Site Tribuna conta com uma equipe que produzem análises consolidadas, apuração com profundidade, contextualização da notícia e abordagem dos fatos como eles realmente acontecem. Essas são as qualidades que fazem do Site Tribuna um site de credibilidade!